Voltando a estaca zero

Este final de semana montei todas as partes da casa que estão cortadas, ou seja, voltei a chegar ao ponto mais avançado que eu alcancei no trabalho. Montadas apenas com fita crepe, para verificar o que fazer a seguir. 

Foi neste ponto que eu desisti. 

E o motivo de ter desistido foi porque eu cortei o piso do terceiro andar e ele não encaixava perfeitamente de jeito nenhum.  Eu medi, remedi, verifiquei todas as medidas mil vezes e não achava o erro. Ainda assim, a peça não encaixava. 

E eu desanimei. Até pq não dava mesmo para seguir adiante. Aí resolvi fazer a montagem definitiva e uma parede torta acabou de vez comigo. 

Agora, com a montagem definitiva e perfeita do primeiro andar, o segundo andar ficou relativamente encaixado nos esquadros e o piso do terceiro andar encaixou direitinho 😁 Que alívio. 

Problemas verificados: a parede do balcão dos fundos está grande e precisa cortar. Chegou a hora de pensar em eletrificar a casa, pois não posso seguir com a montagem definitiva sem saber o que pode ser pintado e o que não pode. 

Fora esses problemas, a casa ficou parecendo estar fora do esquadro, mas dessa vez vou apostar que é a montagem provisória que dá essa impressão,  pois da outra vez ficou tão fora que o terceiro piso não encaixou. 

Aliviada por um lado, preocupada por outros, a vida segue. 

 

A parede empenada e a teimosia. 

Desde que eu vi que a parede estava empenada, a atitude correta deveria ser “vou jogar esta parede fora e fazer outra”. Mas não.  Eu decidi que iria seguir em frente. 

Colei o rodapé nela, a estrutura da escada e coloquei mil grampos na esperança de que ela volte ao esquadro.

Usei todos os “sargentinhos” que tenho aqui e que descobri que são mega úteis,  além de me fazer parecer uma verdadeira marceneira 😂

Depois de bem colado, o aspecto melhorou bastante e decidi colar/pregar a parede no seu devido lugar. 


Me parece que ficou bom, provavelmente colando a moldura superior irá botar tudo bem retinho no lugar. 

Tenho um medo profundo de que essa parede me cause a ruína da casa no futuro,  mas para que eu consiga desenhar as partes que faltam, preciso da casa montada e essa parede é peça fundamental.  

Oremos então! 

A importância de não ter prazo

Domingo passado iniciei o processo de construção da escada, que tem envolvido não só o seu projeto e o corte dos degraus como também toda a execução dos dois andares da casa. 

A escada ficou uma peça fundamental para a União de várias paredes, e para sua execução está sendo necessário montar tudo. Realmente não está sendo fácil. 

Porém,  está sendo prazeroso. Porque não tenho prazo. Tenho apenas que fazer aquilo que eu estiver com vontade de fazer.

E se não for prazeroso,  tenho que parar. É assim que é a Casa da Guizma e é assim que deve ser tudo na vida. 

E neste momento,  fazer a casa com calma e precisão tem sido prazeroso,  mas para ser assim, tem que ser feito lenta e tranquilamente,  sem a pressão dos prazos. 

E é assim, com esta reflexão sobre a vida, que eu serenamente decidi cortar as molduras do teto da sala para “desempenar” a parede, e serenamente cortei errado. 

Tenham um bom feriado. 

A saga da escada recomeça 

Ontem colei todas as peças que eram passíveis de colar.

Não vou negar que me senti como se tirasse um peso das costas. E também empolgação com o resultado.

Cortei as laterais da escada na madeira.

Então eu percebi que realmente não iria conseguir montar a escada sem ter as paredes nos seus devidos lugares.

Com um pouco de pesar, decidi usar os degraus que já estão feitos, mas durante a execução percebi que vai ficar bom. Lembrando-se sempre que o ótimo é inimigo do bom.

Decidi então começar pelos espelhos,  que fiz de papel mesmo.

Colei alguns espelhos para dar uma estrutura.

E já encaixei tudo para ver como ficaria

Então deu pra ver que realmente não iria precisar de degraus novos, graças a Deus.

Agora é deixar secar um pouco pra colar definitivamente tudo e conseguir ultrapassar a dificuldade de visualizar a curva montada.

O empenamento

Ah como foi bom e libertador ver a casa tomar forma de forma decente. 

Colei toda a parte da cozinha com direito a pregos e tudo mais. Para garantir,  passei a fita no esquadro, e vou deixar secar assim. 

Apenas coloquei as paredes nos seus lugares para verificar em que ponto parei, e o que eu já previa aconteceu. As paredes empenaram todas. 

Por isso, prendi as partes mais empenadas com grampos e vou deixar assim por uns dias. 

Então enquanto eu espero secar o que estou colando, vou deixar assim para ver se ajeita.

Quanto às paredes que ainda não foram feitas, tomei a decisão de desenhá-las e mandar na marcenaria. 

Assim eu resolvo 3 problemas: as medidas tortas, a madeira ruim e a dificuldade do corte. 

Acredito que essa medida vá adiantar meu trabalho em algumas semanas. 

Mas para desenhar essas peças,  preciso montar o que já está feito. 

Após o inverno

Embora o inverno nem tenha começado,  o inverno da casa da Guizma acabou. 

Foram 7 meses com os trabalhos parados. 

Algumas medidas estariam tão, mas tão erradas que eu não queria nem seguir adiante, nem voltar atrás.  

E quando o desânimo toma conta,  não há nada que possa ser feito.

Acabei de montar a cozinha e a parede divisória com a sala fico completamente torta. 

E o pior é que eu olhava, olhava e não conseguia descobrir onde estava o erro. E foi assim que em setembro de 2016 eu decidi dar um tempo até dezembro.  Mas quando chegou dezembro,  não consegui parar e mexer na casa, e acabei adiando para abril. 

Enfim, hoje tirei tudo e coloquei em cima da mesa com a meta de achar o erro, nem que eu tivesse que refazer tudo. 

E lá estava ela, a parede torta que me deixou tão triste. 

Desmontei tudo. E achei o erro em 3 minutos. 

Esta parede estava torta e ainda tinha uma barriga.

Não sei como foi que deixei isso passar. Acho que o cansaço com o trabalho me cegou um pouco, mas certamente houve um pouco de desespero e alguma anotação errada que deveria estar me atrapalhando. Sem nenhuma medida em mãos,  comecei a medir as peças e conclui que seria preciso desmontar tudo e cortar as beiradas.

No fim que todas as peças estavam tortas! Fui ajeitando todas, e remontei a cozinha, quando acabei por achar outra medida errada, a da altura. 

Cortei a parede do fundo, a do teto e a da janela, ou seja, todas as 3 peças que compõem a cozinha continham um erro nas medidas. 

O que eu me pergunto é: como eu vou conseguir terminar essa casa tão complexa se eu cometo tantos erros? Tenho que descobrir porquê eu erro tanto!  

Assim que recortei as peças,  a junção logo se mostrou satisfatória como nunca

Ver essas paredes no esquadro foi um alívio enorme e  grande satisfação.  Sinto de novo a empolgação de ver este sonho realizado.  

Sonhei cominha casa de bonecas ppr tantos, mas tantos anos… Será que 2017 ela sai? 

10 semanas – O desespero toma conta de mim.

Esta é a segunda semana que eu tenho a casa toda desmontada em partes e distribuída por vários lugares.

Pelos meus cálculos, eu tenho mais 4 semanas para terminar este processo de “desmontagem-remontagem” para manter o cronograma. A idéia era que eu conseguisse terminar o corte das peças até dia 7 de setembro, o que evidentemente não aconteceu, porque faltou cortar todo o terceiro andar e o telhado, devido a uma discrepância de medidas que aconteceu no piso do terceiro andar.

Esta semana tentei trabalhar todos os dias um pouco, de manhã e a noite, para acelerar o processo. O resultado é que eu consegui fazer bastante coisa mas não consigo concluir nada.

Tive que refazer a parede da porta principal, porque a primeira empenou nos dois sentidos, e eu simplesmente decidi jogar ela fora.

20160904_203521

Desta vez, eu passei seladora e pintei a peça em uma demão de latex antes de cortar os burados das portas. Assim ela não empenou nada. A parede antiga usei como esqueleto da escada, ficou sólida, bem alinhada e bem cortada.

Já aproveitei e colei a porta no lugar, pintei tijolos, colei o batente e os azulejos do lavabo.

Montei a cozinha definitivamente.

20160903_162333

(esta foto não estava colado ainda, ficou bem alinhadinho o azulejo)

Ainda fiz o teto da cozinha com vigas e além de terminar a parede da porta de entrada, dei uma pintada nas outras paredes do andar de baixo. 20160903_130035.jpg

Mas a cada dia eu me desespero mais com a casa desmontada, parece que não vou terminar de fazer isso nunca, que está demorando mais do que eu gostaria e que a cada passo, tudo se torna mais dificil.

Este final de semana cheguei a pensar até em dar um tempo, me questionei porque é que eu resolvi inventar isso e fiquei bem amargurada. Me deu até insônia.

Depois que eu terminar a escada, acho que o desespero passa.